Coelho

O coelho doméstico é extremamente dócil, sendo amplamente criado  em todo o mundo, seja como animal de estimação ou como animal de  produção, fornecendo carne, pelos, pele, ossos e até mesmo a urina  (utilizada pela indústria de cosméticos) para o uso humano.

É encontrado nas mais diversas raças e variações de cores e  tamanhos. Só para citar as raças mais famosas temos a Nova Zelândia (totalmente branco), o Azul de Viena (de tonalidade cinza azulado), o  Angorá (de pêlo longo) e o Himalaia (branco com as extremidades  negras). 

Outra variedade muito apreciada como animal de estimação é o  coelho-anão, que por seu pequeno porte e docilidade torna-se muito  querido pelas crianças. São animais de longevidade média, podendo viver de 5 a 10 anos, proporcionando bons  anos de convívio.

São animais extremamente fáceis de serem criados. São bastante rústicos e os cuidados básicos são  extremamente simples. Quanto ao local para serem criados, recomenda-se uma gaiola bastante ampla, com  fundo telado, o que evita contato do animal com fezes e urina. Há quem prefira criar o coelho solto no jardim ou  quintal. Não há problemas, mas a higiene também deve ser mantida e é importante que haja um abrigo para que  seu coelho se proteja de sol, chuva ou até mesmo das visitas (alguns são bastante “tímidos”).

A alimentação do coelho é bastante variada. São exclusivamente vegetarianos. Para iniciar com uma boa dieta é  importante o fornecimento de uma ração de boa qualidade, própria para coelhos. Além da ração, é essencial na  dieta o uso diário de verduras. Forneça ao menos duas variedades de verdura, trocando semanalmente a  variedade. Frutas e legumes também são importantes, assim como os tubérculos (cenoura, beterraba,  batata-doce, nabo etc).

Os coelhos também possuem um hábito bastante peculiar e importantíssimo em sua nutrição: a cecotrofofagia. O ceco (porção do intestino, muito desenvolvida nos coelhos) possui muitas bactérias fermentadoras em sua flora. Estas bactérias transformam fibras que não são digeridas pelos coelhos em proteínas e vitaminas facilmente  aproveitadas. Estes nutrientes são eliminados à noite pelo coelho, em um formato similar ao das fezes, porém  mais úmidos e moles. Este produto final eliminado é chamado de cecótrofo. O coelho através da cecotrofofagia  (ingestão dos cecótrofos) aproveita todos estes nutrientes, que não são adquiridos quando ingere os alimentos.

A reprodução dos coelhos também é muito fácil. São animais tão férteis que as fêmeas podem ter até 7 ninhadas em um ano, cada uma entre 4 e 10 filhotes. Os filhotes nascem sem pêlos e se amamentam durante 3 semanas. O período de gestação é de 30 dias. Para preparar o ninho, as fêmeas retiram os próprios pêlos da barriga para criar um ambiente aconchegante para os filhotes. Durante a amamentação é recomendável não mexer nos filhotes, pois a mãe pode rejeitá-los se sentir cheiro estranho neles. O ideal é afastar o macho próximo ao parto, pois o macho pode ingerir os filhotes.

As principais enfermidades que acometem os coelhos são as doenças de pele (sarnas, micoses e infecções), diarréias e doenças respiratórias. Os acidentes também são bastante comuns (ataque de cães e quedas).