Ferret

O ferret (também chamado de furão) é um animal da família dos mustelídeos (mesma família da lontra, doninha, ariranha) originário da Europa. Segundo alguns historiadores, os ferretes vêm sendo domesticados pelo homem desde o ano 4 A.C., principalmente para a caça de roedores. 

Hoje em dia ainda são utilizados para este fim na Austrália, Europa e Nova Zelândia. Há 300 anos os ferretes foram introduzidos nos EUA e a partir daí estão sendo utilizados como animais de estimação. Os ferretes que encontramos à venda nas lojas são provenientes de fazendas de criação norte-americanas.

A popularidade deste bichinho tão simpático é decorrente do seu pequeno porte, facilidade de manutenção, adaptação a pequenos espaços e obviamente ao seu carisma.  

São animais muito dóceis, capazes de reconhecer o dono. Os hábitos são noturnos, mas muitos deles seguem a rotina de horários da casa onde vivem. Todos os ferretes comercializados no Brasil são importados dos EUA e já são enviados para cá, castrados e microchipados.

A castração é importante, pois evita vários problemas reprodutivos (que são bastante comuns em ferretes) e é uma exigência do IBAMA para evitar a proliferação desta espécie exótica em nosso país. Já a microchipagem é a melhor maneira de se identificar um animal, pois a partir do número do microchipe temos todas as informações sobre o animal (sexo, procedência, idade, proprietário). A expectativa de vida é de 8 anos, havendo relatos de animais que atingiram os 12 anos.

Os padrões de coloração são vários (nos EUA são 30 padrões diferentes), sendo que os básicos são o sable (corpo escuro, com ventre creme e máscara escura), o albino e o cinnamon (creme). Vale lembrar também que a coloração é bastante variável conforme as estações do ano. Os ferretes também são famosos pelo seu cheiro característico, que vem principalmente das glândulas sebáceas do corpo do animal e não das glândulas anais como muitos acreditam. Os banhos não são tão necessários como nos cães; podemos comparar os ferretes, neste caso, com os gatos. Portanto, os banhos podem ser mensais com xampus especiais para a espécie.

A ração (própria para ferretes) é muito importante, pois se for de boa qualidade oferece para o animal todos os ingredientes de uma dieta balanceada. Evite oferecer ração felina para os ferretes.   Mantê-los em uma gaiola ampla, feita de metal e de fácil higienização é a melhor alternativa.  A gaiola deve ser alta e com rampas, para o animal se exercitar. Pequenas redes são locais bastante confortáveis para dormir. Mantenha a gaiola em local arejado e protegido de sol, chuva e correntes de ar. O ferret pode ser solto em casa, mas sempre com a supervisão do dono, para que não se meta em confusões. Com o seu corpo bastante esguio, o ferret é capaz de passar pelos menores orifícios e fugir facilmente. O bebedouro pode ser do tipo garrafa (ou mamadeira). As fezes e urina o animal costuma fazer em caixas plásticas contendo areia higiênica. 

Os ferretes costumam apresentar doenças metabólicas, tumores e doenças infecciosas. A principal e mais comum é a cinomose (a mesma que acomete os cães). Estes animais devem ser vacinados (com vacinas especiais para ferretes e não vacinas caninas!!!!) quando filhotes e anualmente, para prevenir a doença. A raiva também é outra doença que os ferretes podem adquirir, portanto a vacina anti-rábica também é essencial. Outro cuidado especial é com a gripe humana, que pode ser transmitida ao ferret. Consulte periodicamente seu veterinário para averiguar a saúde de seu ferret.