Periquito Australiano

O periquito australiano é uma ave de pequeno porte, originária do continente australiano. No Brasil, é uma das aves mais comumente criadas em cativeiro, não só pela facilidade da criação, mas também por sua beleza. Por não ser espécie nativa do Brasil, seu comércio e criação são livres. 

Não tem a habilidade de falar como o papagaio, mas emite sons engraçados, quando são treinados. São encontrados nas mais diversas cores, principalmente nas variações de azul, amarelo e verde.  

Por ser uma ave que vive em bandos na natureza, aceita viver com outras aves em cativeiro, não sendo territorialista como outras espécies. 

A expectativa de vida desta ave é em média 8 anos, no entanto há casos de aves que chegaram aos 18 anos.

O dimorfismo sexual (diferenciação entre machos e fêmeas) é visível nesta espécie. O macho possui a região das narinas azulada, enquanto na fêmea esta área é rosada. É uma ave de fácil reprodução em cativeiro. O período de reprodução vai de agosto a março, mas existem casais que se reproduzem durante todo o ano. A fêmea faz postura variável quanto ao número de ovos (de 3 a 7 ovos), dependendo da fertilidade do casal. O período médio de incubação dos ovos é de 18 dias. Quando nascem os filhotes, os pais tratam de alimentá-los até que se tornem independentes.

A alimentação dos periquitos australianos é baseada em sementes, verduras, frutas, legumes e suplementos vitamínicos e minerais. O uso de ração extrusada é a melhor recomendação.

Em relação ao recinto, você pode utilizar uma gaiola bastante ampla ou um viveiro. Estes devem possuir poleiros de madeira (com diâmetro adequado para os pés da ave) e o assoalho deve ser de fácil higienização (prefira utilizar jornal como forração), sem permitir que as aves tenham contato com fezes e urina. Os comedouros e bebedouros não devem ficar no assoalho ou embaixo dos poleiros, pois assim pode ser contaminados com fezes e urina. A utilização de brinquedos (espelhos, contas, cordas, balanças) também é válida no entretenimento das aves. O ninho para reprodução deve ser uma caixa de madeira nas dimensões mínimas de 15cm x 15cm x 10cm. Evite criar apenas uma ave, sempre crie em pares ou em grupo.

As principais doenças que acometem os periquitos australianos são decorrentes de erros na alimentação. Alimentação rica em gordura (excesso de sementes) gera obesidade; já o raquitismo é comum em animais alimentados com dieta pobre em cálcio. O bócio (doença gerada pela deficiência de iodo) também é comum nesta espécie. Além dos problemas nutricionais, os periquitos são acometidos por problemas respiratórios, ectoparasitas (sarna e piolhos) e endoparasitas. Evitar a consangüinidade (cruzamento entre familiares) é importante para que não ocorra nascimento de filhotes defeituosos.